Saúde

Automedicação e os riscos à saúde: entenda!

Escrito por RockContent

Na correria do dia a dia, muitas pessoas acabam negligenciando as consultas médicas, tentando tratar os sintomas e as doenças que eventualmente aparecem fazendo uso de medicamentos por sua conta. Contudo, é preciso saber mais sobre a automedicação e os riscos à saúde que essa prática oferece.

Você verá que automedicar-se, seja pela falta de tempo, pelo excesso de trabalho ou por qualquer outro motivo, não compensa, pois os danos são enormes e podem ser irreversíveis.

Pensando nisso, elaboramos este artigo para que você entenda o que é a automedicação, quais são seus principais riscos à saúde e como abandonar esse hábito!

Automedicação e os riscos à saúde: saiba mais

O que é a automedicação?

Automedicação é o uso indevido de medicamentos, por conta própria e sem a prescrição de um médico. Trata-se de um problema recorrente no Brasil e, segundo a pesquisa do ICTQ (Instituto de Ciência, Tecnologia e Qualidade), 76,4% da população se automedica. Prática muito perigosa, a automedicação é considerada um problema de saúde pública e acarreta diversos riscos à saúde.

Quais são os riscos à saúde?

Intoxicação

De acordo com os dados do SINITOX (Sistema Nacional de Informações Tóxico-Farmacológicas), a automedicação é responsável por grande parte dos casos de intoxicação. Muitas vezes, o próprio paciente altera a dosagem do remédio, acarretando intoxicação com sequelas ou até mesmo morte.

Reações adversas

Outra consequência comum da automedicação são as reações adversas, como reações alérgicas, reações de hipersensibilidade e outros efeitos colaterais que poderiam ser evitados com uma consulta ao médico, visto que esse profissional conhece as propriedades e os componentes dos medicamentos, além do histórico do paciente.

Dependência

Se você acha que remédios para dor de cabeça, para dormir, para tirar a ansiedade ou que um simples descongestionante nasal são inofensivos, está enganado. O uso indiscriminado e rotineiro de qualquer remédio gera dependência e leva a outros problemas, como efeito rebote e piora dos sintomas.

Aumento da resistência de micro-organismos

Principalmente no caso de antibióticos, o uso indevido pode aumentar a resistência dos micro-organismos, agravando o problema e dificultando a cura. Além disso, o tratamento de doenças causadas por bactérias exige medicamentos específicos para cada tipo de micro-organismo. Alguns antibióticos podem, ainda, afetar bactérias benéficas, trazendo resultado contrário ao desejado.

Combinação inadequada de remédios

A automedicação pode levar à mistura inadequada de medicamentos, anulando ou amenizando o efeito de um remédio, potencializando o efeito de outro ou ainda causando danos à saúde, como insuficiência renal, pulmonar ou hepática e hemorragia, podendo levar à morte.

Agravamento de doenças

Quem trabalha muito e não pode parar sabe o quanto é desagradável sentir algum sintoma de doença e, por esse motivo, faz de tudo para resolver logo o problema. Contudo, o alívio imediato provocado pela automedicação pode apenas mascarar os sintomas, levando a pessoa a achar que está melhor. No fim, é possível acarretar o agravamento de doenças e piorar o quadro do paciente.

Como abandonar o hábito da automedicação?

Para não sofrer as graves consequências da automedicação, abandone de vez esse hábito, tomando as seguintes medidas:

  • respeite a prescrição médica, as doses indicadas, o modo de ingestão e o tempo de uso dos medicamentos;
  • solicite informações ao farmacêutico responsável, quando necessário;
  • leia a bula antes de ingerir um remédio;
  • informe ao médico, detalhadamente, os remédios que você toma, para que ele possa fazer a combinação medicamentosa permitida, se preciso;
  • evite carregar remédios ou guardá-los em locais de fácil acesso, como em bolsas, porta-luvas do carro ou na mesa do seu escritório;
  • não siga indicações medicamentosas de amigos ou parentes que não sejam médicos profissionais;
  • jamais utilize receitas de outras pessoas.

Cuidar da saúde deve ser prioridade em nossas vidas. Havendo algum sintoma, sempre consulte um médico e procure contratar um bom plano de saúde para receber assistência de qualidade na hora da necessidade.

Agora que você está ciente sobre a prática da automedicação e os riscos à saúde, assine a nossa newsletter para receber outras informações importantes como essa!

Sobre o autor

RockContent

Deixar comentário.