Plano de Saúde

Conheça os 5 detalhes sobre o plano de saúde para gestantes

Escrito por RockContent

O nascimento de um filho é um dos momentos mais esperados pelos pais, que exige um certo planejamento antes de se tomar uma decisão tão importante. Uma delas é contratar um plano de saúde para gestantes e saber exatamente como ele funciona, quais são os seus direitos e deveres.

Essa é uma forma de deixar não só a mulher mais tranquila, como também o bebê mais seguro, garantindo gestação, parto e pós-parto sem surpresas. Os planos de saúde são ótimas opções para as mães que querem maior segurança para si e para o filho, porém, é preciso saber sobre alguns detalhes antes de fechar qualquer contrato.

Para esclarecer quais esses são, elaboramos este artigo para você, com 5 detalhes sobre o plano de saúde para gestantes que devem ser observados no momento da contratação. Confira!

O que deve ser analisado

1. Período de carência

Essa é uma informação de extrema importância e que não pode passar despercebida. O período de carência é de 300 dias ou de 10 meses. Esse tempo pode ser menor, mas nunca maior. Esse é um direito que muita gente desconhece. Há muitos planos que usam isso para não oferecer os serviços necessários no momento mais importante, que é o do nascimento do bebê.

Essa carência é para o momento do parto, o chamado parto a termo, que ocorre entre 37 e 40 semanas. Para os exames necessários como ultrassom e consultas, a carência é de apenas 180 dias (6 meses, porém alguns planos podem reduzir esse tempo) e, para os momentos de emergência, a carência é de 24 horas.

2. Pré-natal

Depois de cumprido o período de carência, a mulher tem o direito de fazer o seu pré-natal com todos os exames que são comumente solicitados pela equipe de saúde. E não é apenas isso; o parto e o pós-parto também ficam cobertos, e não deve ocorrer a cobrança de taxas adicionais.

3. Cadastro do bebê

Além disso, a criança também entra no plano de saúde da mãe por um período de 30 dias depois do parto, sem nenhum valor a mais. A gestante também tem o direito de escolher um acompanhante de sua preferência para o momento do parto.

Porém, o filho não entra no plano automaticamente, e é necessário que os pais o cadastrem após o nascimento para que ele também possa ter acesso aos serviços que o plano oferece, ao menos durante esses 30 dias.

4. Gestação

É bom ter bastante atenção para o tipo de plano de saúde que pretende contratar. Ele só cobre o atendimento completo – com o parto – se for com cobertura obstétrica. Essa parte é muito importante para evitar problemas justamente no momento do internamento para o nascimento da criança.

5. Parto normal x parto cesáreo

Os benefícios do parto normal em comparação ao parto cesáreo são inúmeros, e a Agência Nacional de Saúde (ANS) já liberou os planos de saúde da obrigação de cobrir a cesárea caso o parto normal possa ser feito sem riscos para a mãe ou para o filho.

Isso foi uma forma que o sistema de saúde brasileiro conseguiu para incentivar a mulher a optar pelo parto normal. Já está comprovado que a cesárea aumenta o risco de morte materna e também o desenvolvimento de doenças respiratórias na criança.

Quando contratar um plano de saúde para gestantes

Muitas mulheres só resolvem contratar um plano de saúde depois que já estão grávidas. O problema disso é que o tempo de carência pode comprometer o pré-natal e, consequentemente, a gestação e o parto, impedindo que certos exames sejam realizados no tempo certo.

Por conta disso, o ideal é contratar um plano assim que os pais tomam a decisão de que querem ter um filho. Dessa forma, quando a mulher engravidar, boa parte do tempo de carência já terá sido cumprido.

Deseja contratar o seu plano de saúde para gestantes ou quer saber mais informações sobre o tema? Então entre em contato conosco!

Sobre o autor

RockContent

Deixar comentário.