Consultoria

Plano de saúde empresarial: como escolher o melhor? Aprenda!

Escrito por RockContent

Um plano de saúde empresarial faz toda a diferença para atrair e reter os melhores profissionais.

Uma pesquisa da agência Michael Page revelou que 30% dos executivos brasileiros preferem empresas que ofereçam benefícios, com destaque para o plano de saúde, número 1 da lista de benefícios preferidos, escolhido por 22,5% dos entrevistados.

Garantir a saúde e o bem-estar dos funcionários é um indicador de que a empresa protege seu maior patrimônio: as pessoas. Mas, diante de uma grande variedade de planos, convênios e coberturas, pode ser que a escolha por um plano corporativo suscite dúvidas.

A seguir, destacamos os principais pontos que devem ser observados na hora de contratar ou de mudar de plano de saúde.

Considere a avaliação do plano de saúde empresarial

A Agência Nacional de Saúde, a ANS, é a autarquia do governo federal responsável por regulamentar o setor de saúde privado brasileiro.

Além de ser obrigatório estar registrado junto à ANS, todo plano de saúde corporativo é avaliado pela agência periodicamente. Essa avaliação é feita de acordo com o IDSS, o Índice de Desenvolvimento em Saúde Suplementar.

Portanto, antes de entrar em contato com a operadora do plano, é preciso conferir se ela está registrada e bem avaliada junto ao órgão regulador.

Verifique se a rede credenciada está bem localizada

Uma boa rede de cobertura hospitalar e ambulatorial é extremamente importante. Os funcionários procuram saber disso, logo, contar com um plano que garanta atendimento próximo ao trabalho ou de casa é fundamental.

Outra medida preventiva que pode ajudar a decidir sobre a real capacidade de um plano de saúde de atender a todos é saber se a rede credenciada muda constantemente.

Mudanças constantes são um mau sinal, pois indicam problemas operacionais do plano. Isso causa transtornos para a empresa, já que força a credenciar outra unidade hospitalar ou ambulatorial na região afetada.

Para funcionários que viajam frequentemente a trabalho, a abrangência precisa ser nacional, o que reforça a necessidade de dar atenção a este ponto.

Pense no reembolso e trâmites burocráticos, que pesam muito

Pode ser que o funcionário busque atendimento com médicos já conhecidos, mas que não fazem parte da rede credenciada.

Além disso, no período de carência, é possível que ele não seja atendido por determinada especialidade, tendo de recorrer a profissionais que não atendem pelo plano contratado.

Uma forma de compensar isso é por meio de reembolso. Saber em detalhes como o plano trata dessa questão faz toda a diferença. Se os valores permitidos compensam, ter uma política de reembolsos que atenda às necessidades dos empregados é essencial.

Conheça o perfil demográfico dos funcionários  

A maior parte dos funcionários mora afastada da empresa ou não? Qual a faixa etária predominante? Saber quem são os trabalhadores que serão atendidos pelo plano a ser contratado é outro ponto que precisa ser considerado na hora de decidir.

Desta forma, haverá subsídios que ajudarão a escolher o perfil adequado do plano, evitando aderir a modalidades muito caras ou que não atendam à maior parte dos funcionários da empresa.

Defina se será obrigatória ou não a adesão

Para a empresa, a contratação de um plano em que a adesão de todos os empregados seja compulsória pode ser vantajosa, já que, dessa forma, a carência será menor.

Por outro lado, nem sempre um plano de saúde empresarial interessa a quem já faz parte de outro convênio. Pode ser também que o funcionário não queira aderir por não se sentir coberto pela rede credenciada, discordar dos valores e outros motivos.

Agora que você já sabe o que precisa e quer ter mais informações, entre em contato agora mesmo. Será um prazer orientar na contratação de um plano de saúde para sua empresa!

Sobre o autor

RockContent

Deixar comentário.