Plano de Saúde

Vale a pena ter um plano de saúde para a vida inteira?

Escrito por RockContent

Um bom convênio médico garante a segurança de que teremos apoio para cuidar da saúde em momentos de emergência. Porém, com o aumento da idade, o custo do plano pode se tornar muito alto ou o mercado apresenta novas opções com benefícios adicionais. Diante dessa situação, surge a dúvida: manter o plano de saúde para a vida inteira ou mudar? Qual é a opção mais segura?

Descubra agora que fatores analisar para tomar essa decisão!

Quais são os direitos do idoso em relação ao plano de saúde?

Desde 1999, determinações do Conselho Superior de Saúde (CONSU) regulamentaram os reajustes para coibir aumentos abusivos.

Com a intenção de garantir uma cobrança justa e não discriminatória, o Estatuto do Idoso, desde 2004, também estipulou regras que proíbem reajustes por mudança de faixa etária a partir dos 60 anos.

Um acordo feito entre a Agência Nacional de Saúde (ANS) e as operadoras estabeleceu que, para diluir os custos com o beneficiário idoso, os reajustes podem ser realizados em faixas etárias anteriores aos 60 anos.

Para garantir que esses aumentos não seriam abusivos, foi criada uma regra bastante clara: o valor da mensalidade da última faixa etária (59 anos), não pode ultrapassar seis vezes o valor correspondente à dos contratantes de até 18 anos.

Porém, as empresas realmente esgotam ao máximo as possibilidades abertas pelas determinações e acordos. Alguns planos de saúde chegam a dobrar o valor da mensalidade no reajuste que ocorre aos 59 anos.

Existem relatos até de empresas que impõem reajustes superiores ao limite fixado pela ANS. Por isso, os contratantes devem ficar realmente atentos e recorrer à justiça caso sejam lesados desta forma.

Quando considerar a mudança de plano?

O fato é que, por mais que o contratante tenha sido fiel a um plano de saúde pela vida inteira, a partir dos 59 anos as empresas prestadoras desse serviço reajustam seus preços.

Mesmo quando cumprem a decisão da ANS, as empresas deixam para fazer os maiores reajustes nessa ocasião, o que muitas vezes torna o pagamento inviável, e o beneficiário fica desamparado justamente no momento em que os cuidados com a saúde são ainda mais necessários. Por este motivo, é importante pesquisar outras opções oferecidas no mercado.

Que prejuízos podem ocorrer em caso de troca de operadora?

Apesar de muitas questões precisarem ser resolvidas nesta área, não se pode negar que muitos avanços foram obtidos em relação aos direitos do consumidor, inclusive quando se trata dos planos de saúde.

Atualmente, existem garantias de portabilidade para que, ao trocar de convênio, o beneficiário não tenha que cumprir novas carências já cumpridas no plano de origem.

Além disso, as operadoras de planos de saúde não têm o direito de fazer qualquer cobrança por rescisão de contrato, ou mesmo de cobrar o pagamento de meses antecipados, como acontecia anteriormente. A fidelidade de um ano, que antes era exigida pelas empresas, também não pode mais ser exigida.

Portanto, ficou mais fácil escolher a operadora que atende melhor às necessidades do beneficiário e fazer a mudança, atendendo aos seus próprios interesses.

Como mudar de plano de forma segura?

Por se tratar de uma questão relacionada à segurança da família, a mudança de convênio pode ser uma situação estressante. É preciso avaliar as vantagens de cada proposta, assim como pesquisar sobre a qualidade dos serviços da empresa.

Além disso, por conter muitas questões técnicas e incluir direitos que geralmente não conhecemos, fazer essa troca por conta própria nem sempre é a melhor alternativa.

Como em qualquer decisão sobre questões tão importantes, a forma mais segura é procurar o parecer de especialistas. Essa assessoria pode ampliar as opções, ajudar a escapar de armadilhas contratuais, evitar situações desagradáveis e demandas judiciais desgastantes.

Portanto, antes de decidir garantir fidelidade a um plano de saúde para a vida inteira, é importante comparar e pesquisar opções que atendam melhor aos interesses da família e promovam seu bem-estar.

Entendeu como é importante se cercar da assessoria de especialistas para decidir qual é o melhor convênio médico? Então, descubra qual é o papel de uma corretora na venda de um plano de saúde e saiba utilizar o parecer dos melhores profissionais para garantir o bem-estar de sua família!

Sobre o autor

RockContent

Deixar comentário.